Na era do Império Romano por volta de 74 D.C, suas legiões realizaram uma invasão ao sul da Alemanha; nesta incursão bem sucedida, tais legiões levavam cães que faziam importante trabalho de pastoreiro de gado, guarda de acampamentos e também de prisioneiros.



Eles surgiram em uma cidade conhecida pelos romanos como Arae Flaviae, importante pólo administrativo e social da época. Com o passar do tempo a cidade se desenvolveu, seus prédios foram cobertos por telhas artesanais vermelhas e por esta razão passou a ser denominada Rotwill, que quer dizer Vila Vermelha, mais tarde passou a ser chamada e conhecida por Rottweil.

Entre 250 e 260 D.C os conquistadores romanos foram expulsos por tribos locais que destruíram as edificações ali existentes.



Esquecidos, permaneceram alguns cães que treinados para defenderem suas casas até a morte, devem ter sucumbidos. Os sobreviventes foram envolvidos em atividades de criação de gados e apoio a outros serviços.

Rottweiler prosperou, tornou-se um grande mercado atraindo boiadeiros, fazendeiros e comerciantes. Até este momento, a raça era conhecida pelo nome de MTZGERHUND. Eram utilizados para condução de gado e também para assegurar o retorno do dinheiro arrecadado com a venda do rebanho, já que nenhum lugar é mais seguro que a coleira deles; ninguém arriscaria mexer no pescoço dos valentes cães de guarda.



Por todos estes atributos, houve um crescente respeito pelos cães de açougueiro e os criadores locais começaram a cruzá-los seletivamente.

O nome Rottweiler foi atribuído para distingui-los de outros cães de seu tipo, porém considerados inferiores.

Nesta época o Rottweiler era útil para tracionar charretes e conduzir tambores de leite, continuando desta forma até 1800, quando a ferrovia assumiu o transporte de gado e de leite; e os cães foram substituídos por burros.

Em 1982, surge o primeiro registro de um Rotweiler sendo apresentado em uma exposição de cinofilia, em Heibronn. Com a perda da utilidade e popularidade, o Rotweiler decresceu ao ponto de no início do século quase chegar a extinção.



O interesse pelo Rottweiler voltou a acontecer no norte da Alemanha, ao invés do sul, de onde surgiram. Esse interesse veio por causa de suas virtudes, como o trabalho de polícia. O clube alemão do Rottweiler (ADRK), foi fundado em Heidelberg, em 13 de janeiro de 1907. O ADRK tounou-se vinculado a Associação Alemã de Cães Policiais, que incluiu a raça da relação das apropriadas para a realização do trabalho de cão policial.

Em 1921, foi criado o clube geral de Rottweiler (Allegemeiner Deustcher Rottwieler Klub – ADRK) que tinha como lema: “Criação de Rottweiler” e “Criação de cães de trabalho”.

A raça foi reconhecida pelo Kennel Club em 1930 e pelo Kennel Club Grã- Bretanha em 1936.



Dados sobre a Raça

Rottweiler: Perfil da Raça

País de origem: Alemanha

Nome do cidade de origem: Rottweil

Utilização: tração, guarda e boiadeiro

Pelagem: média e longa

Cores: preto com marcação em castanho

Temperamento: pacífico e amigável

Relacionamento:

Difícil com outros cães
Com crianças são ótimos
Com os donos são excepcionais
Altura:

Macho – 63 a 64 cm
Fêmea – 60 a 61 cm
Peso:

Macho – 50 kg aproximadamente
Fêmea – 42 kg aproximadamente
 

Fontes:
Guia completo da raça (Rottweiler)
www.cbkc.org
, 18/09/2017